Liga das Nações: Seleção feminina de vôlei perde para a China em jogo emocionante

A seleção brasileira feminina de vôlei encerrou com derrota a terceira semana da Liga das Nações, disputada em Rimini, na Itália, nesta terça-feira, 8. A equipe vinha embalada por vitórias contundentes sobre Sérvia e Bélgica, mas não foi páreo para a China, perdendo o equilibrado duelo, disputado em alto nível, por 3 sets a 2, com parciais de 25/18, 22/25, 20/25, 25/14 e 12/15. O Brasil estava na vice-liderança, mas, com o revés, terminou esta etapa do torneio no terceiro lugar, atrás apenas dos Estados Unidos, que estão invictos, e da Turquia. As brasileiras somam sete vitórias e duas derrotas em nove jogos. A China é a nona colocada. As quatro melhores seleções vão à fase final do torneio.

O time treinado por José Roberto Guimarães dá uma pausa para descansar e treinar e volta à quadra no próximo sábado para a quarta semana da fase de classificação da Liga das Nações. O desafio será contra a Polônia, às 16 horas (de Brasília). Domingo, o adversário será a Alemanha, às 16h, e segunda, a Tailândia, às 14h30. Apesar do revés, a partida foi um excelente teste para a seleção brasileira, que busca ritmo de jogo e quer chegar nos Jogos Olímpicos entrosada e com chances de disputar a medalha de ouro. O time fez um bom jogo, mas a China, mesmo com uma equipe alternativa, foi superior e contou com um dia inspirado de Zhang, grande protagonista da partida, com impressionantes 36 pontos.

Tandara foi o principal destaque do time brasileiro, com 26 pontos, mas caiu de produção a partir do quarto set e no tie-break optou por largadas que acabaram gerando contra-ataques para as chinesas. Carol Gattaz e Gabi, ambas com 19 pontos, e Camila Brait também tiveram participação importante em quadra. Macris teve boa atuação na distribuição das jogadas e esteve à vontade. O Brasil precisou de muita paciência para virar as bolas, foi bem no fundo de quadra, com Camila Brait e Gabi, esta que cresceu muito nos dois últimos sets, mas não conseguiu parar Zhang e careceu de potência e concentração no ataque em momentos decisivos. O saldo, no entanto, é positivo, já que, apesar da derrota e da oscilação, a equipe mostrou maturidade, poder de reação e um bom volume de jogo.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários

Compartilhe

Ultimas notícias

Gasly: “Special” to return to French GP as an F1 race winner

Gasly became the first French F1 race winner in 24 years after taking a shock victory at last year’s Italian Grand Prix, fending off Carlos...

Hands-on with WRC 10’s brand new stages and physics

The official game of the World Rally Championship has had a long and tumultuous history. Starting out back in 2001 as a PS2 exclusive...

The eight things to watch for as the DTM's brave new era begins

It was a little over 14 months ago that Audi unceremoniously announced its impending exit from the DTM, leaving the future of the entire...

Ex-F1 racer Chandhok joins Motorsport UK board of directors

The 37-year-old, who started 11 grands prix for the Hispania and Caterham F1 outfits in 2010 and 2011, has also made five appearances in...

Penske: IMSA return to Indy “high on the list” of targets

IMSA’s last visit to the Indy road course came seven years ago, the Brickyard Grand Prix being held on the same weekend as NASCAR’s...