Show de Hamilton na montanha-russa portuguesa: 97ª pole na F1


Com o cronômetro zerado e na segunda volta rápida com os pneus médios, inglês supera o companheiro Valtteri Bottas por apenas 102 milésimos. O finlandês sai em segundo no grid Fim de classificação. Cronômetro zerado, mas a volta válida para a última tentativa. Três trechos perfeitos e a pole position. Um roteiro quase sempre dominado por Lewis Hamilton. E não foi diferente neste sábado no Autódromo Internacional do Algarve, sede da volta do GP de Portugal à Fórmula 1 depois de 24 anos de ausência. Depois de ser superado por Valtteri Bottas nos treinos livres, o inglês partiu para uma tática ousada em sua última chance de marcar a pole: foi para duas voltas rápidas com os pneus médios. Deu certo. E o tempo da segunda foi espetacular: 1m16s652, 102 milésimos melhor que o tempo do companheiro de Mercedes. 97ª pole da carreira e uma ótima posição para a largada na montanha-russa portuguesa neste domingo.
O GP de Portugal começa às 10h10 (de Brasília) deste domingo, com transmissão da TV Globo. A narração será de Cleber Machado, com comentários de Luciano Burti e Felipe Giaffone, e reportagens de Marcelo Courrege. O ge também mostra a corrida em vídeo.
VOANDO BAIXO: Rafael Lopes comenta o resultado da classificação em Portimão
Voltemos então à última tentativa de Hamilton e Bottas. A Mercedes optou por colocar seus dois carros com os pneus médios para as voltas finais na classificação, mas deixou seus pilotos livres para escolher a melhor estratégia. O finlandês escolheu apostar tudo na primeira volta do jogo de pneus, enquanto o inglês foi para duas tentativas: uma volta rápida, uma de resfriamento e mais uma veloz. Deu muito certo: a tentativa final pegou a pista em melhores condições e com os pneus mais aquecidos. Hamilton e Peter Bonnington, seu engenheiro, acertaram na mosca. E o inglês mostrou na pista porque é o melhor piloto da atualidade e um dos maiores da história: fez uma volta perfeita.
Valtteri Bottas lamenta a perda da pole position para o companheiro Lewis Hamilton no GP de Portugal
Dan Istitene/F1 via Getty Images
E Bottas tem muitos motivos para se preocupar na largada. A segunda posição no grid é colocada do lado sujo da pista. E em Portimão, com um asfalto recém-instalado e com baixa condição de aderência, esse problema é potencializado. Quem pode se dar bem nessa é Max Verstappen, da RBR, que marcou o terceiro tempo na classificação, a apenas 252 milésimos de Hamilton. Conhecido pela agressividade, o holandês partiu para uma tática diferente das Mercedes. Ele vai largar com os macios, enquanto a dupla da equipe alemã vai de médios. Além da maior velocidade nas primeiras voltas, Verstappen poderá ter mais aderência na saída, o que pode ser decisivo no longo caminho do grid à curva 1. Se conseguir pular bem, ele poderá obter uma boa vantagem estratégica, já que poderá fazer a maior parte da corrida com os médios.
Se os três primeiros foram os mesmos de sempre, a surpresa está na quarta posição. Em uma pista com uma reta de quase um quilômetro, Charles Leclerc conseguiu colocar a Ferrari na segunda fila. A equipe italiana trouxe uma série de novidades aerodinâmicas para a corrida em Portimão que parecem ter surtido efeito. O monegasco sempre esteve nas primeiras posições desde o primeiro treino livre e o quarto lugar no grid é a confirmação da melhora do SF1000. Por sua vez, o desempenho de Sebastian Vettel continua complicado. O alemão vai largar em 15º e, para piorar, emendou a pior sequência da carreira em classificações: pela oitava corrida seguida vai largar fora dos dez primeiros.
Charles Leclerc conseguiu levar a Ferrari ao quarto lugar do grid de largada para o GP de Portugal
Jose Sena Goulao – Pool/Getty Images
A partir da terceira fila, muito equilíbrio. Racing Point, McLaren, AlphaTauri e Renault estão muito emboladas. Sergio Pérez foi o melhor dessa turma, com a quinta posição, à frente de mais um decepcionante Alexander Albon, apenas o sexto. O tailandês foi meio segundo mais lento que Verstappen, seu companheiro na RBR. Carlos Sainz e Lando Norris, a dupla da McLaren, larga na quarta fila. Pierre Gasly e Daniel Ricciardo, que não andou no Q3 após danificar a asa traseira no fim do Q2, completam os dez primeiros colocados no grid.
A corrida ainda é uma incógnita. Em uma pista nova para a Fórmula 1, as equipes estão no escuro, ainda mais com o tempo de pista perdido na sexta-feira. Em condições de pista seca, é ver como os pneus vão se comportar em ritmo de prova. Isso será decisivo para escolher a melhor estratégia. Se chover, aí vira loteria mesmo: em uma pista com baixa aderência no seco, a tendência é que seja ainda pior no molhado. Aí vira corrida de sobrevivência na montanha-russa portuguesa. Fato é que deveremos ver uma excelente prova em Portimão, cheia de alternativas.
Max Verstappen ficou em terceiro e, mais uma vez, superou o companheiro Alexander Albon com folga
Bryn Lennon/F1 via Getty Images
Perfil Rafael Lopes
Editoria de Arte/GloboEsporte.com

Comentários

Compartilhe

spot_img

Ultimas notícias