Oito pilotos já foram recordistas de vitórias na história da Fórmula 1; veja a lista até Hamilton


Desde Giuseppe Farina, em 1950, até inglês superar Schumacher, posto de maior vencedor da principal categoria do automobilismo trocou de mãos em dez oportunidades A histórica 92ª vitória de Lewis Hamilton, alcançada no GP de Portugal, deixou o inglês como recordista de triunfos na história da Fórmula 1. O – por enquanto – hexacampeão mundial superou as 91 vitórias de Michael Schumacher, que era o maior vencedor da categoria desde 2001, quando ultrapassou Alain Prost.
Carrossel Hamilton e Schumacher especial 2020
Editoria de arte
O F1 Memória fez um levantamento sobre a evolução do recorde de vitórias na categoria e – até hoje – foram oito os recordistas: Giuseppe Farina, Juan Manuel Fangio, Alberto Ascari, Jim Clark, Jackie Stewart, Alain Prost, Michael Schumacher e Lewis Hamilton.
Vamos conferir a evolução dos recordistas de vitórias na F1?
Giuseppe Farina – 1950
Última vitória de Giuseppe Farina foi conquistada em 1953, na Alemanha
Getty Images
Evidentemente, por ter sido o primeiro vencedor e campeão da história da F1, Giuseppe Farina deteve o recorde de vitórias, com três, no fim de 1950. No ano seguinte, foi superado por Juan Manuel Fangio, chegou a empatar com o argentino em quatro vitórias, mas depois só venceu mais uma vez na F1, em 1955.
Alberto Ascari – 1952/1955
Alberto Ascari em ação com a Ferrari na temporada de 1952
Getty Images
Alberto Ascari ganhou duas vezes na temporada de 1951, mas foi em 1952 e 1953 que o italiano dominou a Fórmula 1, com a Ferrari. Em 1952, passou o então recordista Juan Manuel Fangio e chegou à sétima vitória. Até o fim da temporada seguinte, Ascari alcançou 13 triunfos na categoria e permaneceu com o recorde até o começo de 1955 – curiosamente, morreria naquele mesmo ano.
Juan Manuel Fangio – 1951, 1955/1968
Juan Manuel Fangio conduz a Mercedes W196
Getty Images
Maior campeão de todos os tempos, Juan Manuel Fangio se tornou o maior vencedor da F1 em 1951 ao vencer pela quarta vez, passando Farina. Depois de dominar as temporadas de 1952 e 1953, Ascari se tornou recordista, mas Fangio foi para a Mercedes em 1954 e foi bicampeão. Na abertura do campeonato de 1955, na sua Argentina, Fangio ganhou pela 14ª vez e passou a ter o recorde. Numa sequência implacável, foi campeão também em 1955, 1956 e 1957, ano em que alcançou sua 24ª e última vitória.
Jim Clark – 1968/1973
Jim Clark conquistou sua última vitória na F1 em Kyalami, em 1968
Reprodução/rede social
Jim Clark é até hoje tido como um dos maiores de todos os tempos na F1. Ganhou uma corrida pela primeira vez em 1962, e, no ano seguinte, dominou a temporada, com sete vitórias. Em 1965, venceu mais seis vezes para faturar o bi. Mesmo sem ser campeão nos anos seguintes, Clark continuou como grande ídolo na F1. Dois anos depois, venceu mais corridas do que o campeão Denny Hulme, mas foi só terceiro na tabela. Na abertura da temporada de 1968, ganhou na África do Sul e quebrou o recorde de vitórias de Fangio. Mas Clark morreu meses depois numa prova de F2 na Alemanha.
Jackie Stewart – 1973/1987
Jackie Stewart recebe a bandeirada para vencer em Zandvoort, em 1973
Reprodução
Grande astro da F1 na virada para os anos 1960 para os 1970, Jackie Stewart estreou em 1965, venceu logo no primeiro ano e foi campeão pela primeira vez em 1969, ganhando seis provas. Com mais seis vitórias, levou o bi em 1971, mas a consagração veio mesmo em 1973: na Holanda, ganhou pela 26ª vez na F1 para passar o compatriota Clark. Obteve a 27ª e última vitória na prova seguinte, na Alemanha, e parou de correr no fim daquele mesmo ano.
Alain Prost – 1987/2001
Prost cruza a linha de chegada para quebrar recorde de vitórias, em 1987
Reprodução
Pilotando Renault e McLaren, o Professor acumulou vitórias nos anos 1980 e quebrou o recorde do amigo Stewart em Portugal, em 1987. Depois da troca de pneus, o francês descontou a diferença em relação ao líder Gerhard Berger, que sentiu a pressão e rodou. Foi a 28a vitória de Prost, que estenderia o recorde até 51 triunfos, o último na Alemanha, em 1993.
Michael Schumacher – 2001/2020
Schumacher acelera Ferrari durante o GP da Bélgica de 2001
Getty Images
Michael Schumacher herdou a condição de astro da F1 após a morte de Ayrton Senna, em 1994. Bicampeão pela Benetton, Schumi foi para a Ferrari e, pouco a pouco, foi enfileirando vitórias. Empatou com Prost na corrida de seu tetracampeonato, na Hungria, em 2001. Na prova seguinte, na Bélgica, chegou à vitória 52 e foi ampliando o recorde de forma impressionante até alcançar 91 triunfos. Um recorde inalcançável. Até aparecer Lewis Hamilton…
Lewis Hamilton – 2020/?
Lewis Hamilton comemora recorde de vitórias na F1
Getty Images
O prodígio inglês começou vencendo corridas logo no ano de estreia, em 2007, foi campeão em 2008, mas depois teve anos irregulares na McLaren e viu Sebastian Vettel ser tetra com a RBR. Mas a transferência para a Mercedes em 2013 se revelou cirúrgica, e Hamilton soube potencializar a força da equipe com vitórias. O que parecia impossível aconteceu: Hamilton não só alcançou como passou Schumacher ao vencer o GP de Portugal de 2020.

Comentários

Compartilhe

spot_img

Ultimas notícias