Após recorde, pai de Hamilton lembra sonhos para o filho: “Queria que tivesse uma vida boa”


Hexacampeão se tornou maior vencedor da história da categoria ao vencer pela 92ª vez no GP de Portugal, no estreante Autódromo do Algarve Em meio à pandemia do coronavírus, Lewis Hamilton tem experimentado uma solitária trajetória no atual campeonato da Fórmula 1. No entanto, seu pai Anthony Hamilton pôde presenciar a 92ª vitória do britânico no GP de Portugal, que o sacramentou como o maior vencedor da história. Após a prova, o pai do hexacampeão relembrou da trajetória do filho, falando sobre o peso da conquista para a dupla.
+ Hamilton vence em Portimão e se torna recordista absoluto de vitórias
Lewis Hamilton e o pai Anthony Hamilton após o GP de Portugal
Mario Renzi – Formula 1/Formula 1 via Getty Images
– Significa muito para as pessoas olhar para nós e pensar “uau, em 1993 esses caras não tinham nada”. Com trabalho duro e dedicação você se surpreenderia com o que pode conquistar. Foi muito emocionante quando Lewis chegou. Foi quase como a culminância de tudo, desde a primeira vez que ele sentou num kart e disse: “Eu quero competir”. Eu pensei: “Não posso pagar por isso, Lewis, mas se você vai fazer isso, precisa levar a sério”. E nós temos feito isso seriamente desde então – disse o britânico.
O atual piloto da Mercedes possui origem humilde e, antes de ser apadrinhado ainda no início de sua carreira no kart por Ron Dennis, da McLaren, precisou contar com a dedicação do pai – que chegou a trabalhar em quatro empregos – para continuar competindo.
Único piloto a vencer ao menos uma prova em cada temporada disputada na F1, Lewis Hamilton subiu ao lugar mais alto do pódio pela primeira vez em 2007, no GP do Canadá. Após 13 anos, no GP de Eifel em Nürburgring, encostou no recorde de vitórias que antes pertencia ao heptacampeão Michael Schumacher, de 91 triunfos. A 92ª vitória veio neste domingo, em Portugal.
Lewis Hamilton comemora vitória com o pai Anthony e a madastra Linda no GP de Portugal
Joe Portlock/Getty Images
+ Hamilton diz que cãibras o fizeram tirar pé do acelerador em Portugal
Anthony Hamilton também reforçou que a hoje tão conhecida obstinação do hexacampeão não é recente; aos nove anos de idade, Lewis disse para Dennis – então dirigente da McLaren – que um dia pilotaria para ele, o que se concretizou 13 anos depois:
– É todo o processo da mentalidade na corrida. Quando ele tinha oito anos, ele dizia “eu vou vencer, eu quero trabalhar muito duro pra poder vencer”. Ele tem feito a mesma coisa desde então a cada corrida. É fenomenal.
A festa pela 92ª vitória de Lewis Hamilton com a equipe Mercedes e o buldogue inglês Roscoe
Dan Istitene/F1 via Getty Images
+ Lembre outros recordistas de vitórias na F1
Hamilton também é dono de seis títulos na categoria, além de ter conquistado 161 pódios e 97 pole positions nas 14 temporadas que disputou. Para seu pai, Anthony, tudo isso transcendeu as expectativas que ele nutria para o filho ainda em sua infância, o que revela com orgulho.
– Tudo que eu queria para Lewis era que ele tivesse um emprego decente, uma boa vida, e fosse uma boa pessoa. Tudo o que aconteceu foi um bônus. Nós sempre queremos que nossos filhos sejam felizes e aproveitem suas vidas. Pra mim, esse sempre foi o principal objetivo. Estou extremamente orgulhoso por ele ter um trabalho incrível e ter se tornado um grande ser humano – declarou o pai de Lewis.

+ Voando Baixo: Hamilton, o novo parâmetro da F1
+ Veja classificação atualizada do campeonato da F1 em 2020
A cinco etapas para o fim da atual temporada da F1, o piloto da Mercedes segue na liderança do campeonato com 256 pontos, 77 a mais que o vice-líder do Mundial de Pilotos e seu colega de equipe, Valtteri Bottas.

Comentários

Compartilhe

spot_img

Ultimas notícias